quarta-feira, 1 de outubro de 2014

O SOLO "A RECEITA" CONTINUA SUA TEMPORADA NO ESPAÇO O POSTE !


SEJA BEM –VINDO!
É com imenso prazer que compartilho  o meu caderno de receitas íntimas com vocês, após abandonar-me por completo numa relação a primeira vista insossa e que foi tornando-se amarga a medida que o anos avançavam...(mulher anônima, 48 anos).

Essa é A RECEITA!
O texto é de Samuel Santos  e faz parte da série DESATINOS, uma reunião de textos que possuem  personagens em situação de total disparate e devaneio, os textos tratam de temas como morte, violência, loucura e a intolerância de uma maneira peculiar explorando vários pontos de vista, abordando suas inexoráveis naturezas  revelando   uma dramaturgia atual, antenada com  questões no seu processo limite.
  A RECEITA  é uma obra  tragicómica e descreve um universo feminino e particular. Naná Sodré encarna uma mulher anônima e invisível de aproximadamente 48 anos que  vive em situação de total abandono e dependência emocional, casada e com filhos a personagem passa a maior parte do tempo na cozinha tentando temperar suas ilusões e seus inúmeros cenários imaginários com sal, alho e coentro com cebolinha.... A personagem, assim como as pessoas comuns, se deixa cair em situações que levam ao trágico. O espetáculo funciona como um espelho, no qual muitas vezes  vemos refletir nossas atitudes e a partir daí refletimos sobre os comportamos mediante aos momentos desatinados.
RECEITA teve seu início em Brasília no VI Masters-in-Residence com EUGENIO BARBA e JULIA VARLEY-EDIÇÃO COMEMORATIVA -  O Diálogo das Técnicas 2013, e lá foi apresentada em formato reduzido(5min.) e exercitada a partir das observações do diretor Eugênio Barba e da atriz Julia Varley. Fundamentada num processo autônomo A RECEITA teve sua continuidade em Recife com o Apoio do Edital de Ocupação do Teatro Joaquim Cardozo/UFPE, no  período de maio a julho de 2014 , o texto e a direção são de Samuel Santos.
A escolha para a montagem do texto  “A RECEITA”  surgiu pela possibilidade de dar continuidade a um trabalho iniciado em dezembro de 2013 no evento chamado   A ARTE SECRETA DO ATOR – BRASIL –  na cidade de Brasília, onde a atriz Naná Sodré participou da IV Masters-in-Residence com  EUGENIO BARBA e JULIA VARLEY do grupo dinamarquês ODIN TEATRET, um evento que reuniu mais de vinte atores, diretores, pesquisadores e acadêmicos brasileiros e latino-americanos que buscam apuro, reciclagem e intimidade com os princípios e origens de um teatro para causar interesse e renovar o ofício. E nesse encontro intitulado   O Diálogo das Técnicas, um trecho do texto “ A RECEITA”  -uma cena de 5min- foi apresentado. A referida apresentação  contou com a construção de ações físicas  e partituras condizentes com a dramaturgia escrita por Samuel Santos e a dramaturgia corporal da atriz Naná Sodré.
Durante uma semana (98 horas)  a pequena cena  e suas partituras e sub partituras corporais e vocais ,sofreram interferências diretas das técnicas de encenação de Eugênio e Julia, indicações que possibilitaram mudanças em vários níveis e elementos da cena , um verdadeiro exercício de autonomia e de entendimento das ações físicas tão primordiais ao teatro desenvolvido pelo grupo Odin a mais de 40 anos e tão presentes no Teatro Antropológico defendido por Eugênio Barba , o teatro que   investiga o homem em estado de representação. 
Investigação essa condizente também com a linha de pensamento da atriz Naná Sodré  e do  grupo  O Poste Soluções Luminosas, que nas suas encenações além das questões voltadas a ancestralidade africana construindo um caminho possível para o resgate, para as raízes que historicamente foram e  são  negadas nas questões da cor da pele, na musicalidade, na religião e no vestuário, encarando o teatro como um campo possível para aproximação dos povos e para reflexão, também focam seus trabalhos corporais em dois pilares: os exercícios desenvolvidos por Michael Chekhov e os princípios da biomecânica.   Portanto montar esse texto representa a continuidade de uma  prática referendada por pessoas de grande importância no  universo do teatro e também a possibilidade de mais uma vez partilhar as práticas do grupo O Poste  com o público, com a possibilidade de produzir e montar o texto  na integra exercitando as técnicas e elaborando os elementos da encenação.    
     
           Faz-se importante ressaltar a importância do resgate, valorização e de se manter sempre viva e acesa as conexões culturais existente no Brasil, oportunizando o público a passagem por várias realidades sociais  a assistir um espetáculo que fale dos limites  com tamanha seriedade e profundidade de uma forma poética. É também um trabalho de conscientização a respeito das ações físicas e orgânicas, representando verdades, ilusões, sonhos dentre muitos outros sentimentos e estados que  A RECEITA  nos arremete de forma intensa e verdadeira.

   O ESPAÇO O POSTE
Da necessidade de realizar suas pesquisas, treinamento, formação e apresentação de seus espetáculos o grupo vem há quatro anos na busca de um espaço cultural na cidade, onde não só servisse ao grupo mais também a outros artistas. ESPAÇO O POSTE, esse é o nome do  teatro de bolso com capacidade para 60 pessoas ,está localizado na rua da Aurora, 529, em frente ao rio Capibaribe. O espaço é de caráter alternativo, sem palco fixo - um dos pontos caraterísticos do ambiente  pois coloca o artista e o espectador no mesmo plano – e todo revestido com madeira e materiais alternativos como  Paletes que  são utilizados nas paredes e em forma de acentos com acolchoamento, criando um ambiente aconchegante e próprio para uma boa acústica. O espaço possui iluminação cênica, mas como a característica do local é  fugir da caixa cênica tradicional, não possui coxias e os objetos de cena e cenários serão manuseados pelos próprios artistas, pois o espaço não possui urdimento. Esse formato torna qualquer obra encenada no espaço bem intima, conectado a obra de arte e a plateia.

FICHA TÉCNICA

Direção, dramaturgia, encenação e figurino: Samuel Santos
Atuação, maquiagem e efeitos sonoros: Naná Sodré
Sonoplastia: Marcelo Trigo
Plano luz, operação de luz e sonoplastia: O Poste Soluções Luminosas
Técnica de rolamento: Mestre Sifu Manoel Francisco
Fotografia: Fernando Azevedo
Programação visual e designer gráfico: Inaldo Lima
Apoio cultural: Teatro Joaquim Cardozo – UFPE (Edital de Cultura)
Produção: grupo O Poste Soluções Luminosas 

SERVIÇO

Espetáculo: A Receita
Local: Espaço O Poste - Rua da Aurora,n.529 (esquina com Princesa Isabel)
Quando: Sábados ( 04,11,18,25) de outubro de 2014
Horário: 20h 

                                                BOM APETITE & VOLTE SEMPRE!

  


      


segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Inauguração do ESPAÇO O POSTE

O ESPAÇO O POSTE

Da necessidade de realizar suas pesquisas, treinamento, formação e apresentação de seus espetáculos o grupo vem há quatro anos na busca de um espaço cultural na cidade, onde não só servisse ao grupo mais também a outros artistas. ESPAÇO O POSTE, esse é o nome do teatro de bolso com capacidade para 60 pessoas, está localizado na rua da Aurora, 529, em frente ao rio Capibaribe. O espaço é de caráter alternativo, sem palco fixo - um dos pontos caraterísticos do ambiente pois coloca o artista e o espectador no mesmo plano – e todo revestido com madeira e materiais alternativos como Paletes que são utilizados nas paredes e em forma de acentos com acolchoamento, criando um ambiente aconchegante e próprio para uma boa acústica. O espaço possui iluminação cênica, mas como a característica do local é  fugir da caixa cênica tradicional, não possui coxias e os objetos de cena e cenários serão manuseados pelos próprios artistas, pois o espaço não possui urdimento. Esse formato torna qualquer obra encenada no espaço bem intima, conectado a obra de arte e a plateia.


 O POSTE SOLUÇÕES LUMINOSAS-Agrinez Melo, Naná Sodré e Samuel Santos
 Emoção das atrizes Naná Sodré e Agrinez Melo
 Isaar presenteou o Grupo cantando na abertura do ESPAÇO O POSTE.

 A atriz  Naná Sodré na abertura do ESPAÇO O POSTE  no solo A RECEITA



 Isaar  cantando na abertura
 Deco do trombone
 Filhos do grupo O POSTE
 Agrinez Melo
 Naná Sodré
 Plateia no ESPAÇO O POSTE
 O GRUPO O POSTE SOLUÇÕES LUMINOSAS
 Presença amiga: Pedro Dias e Geraldo Cosmo
 Momentos

 Hildegarhd Roberto marcou presença
 Roberto Lúcio e O POSTE -na foto abaixo Marlene Coutinho

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Curso de teatro Titulo: Vigor e interpretação teatral

O que é o curso:
Curso de iniciação teatral,que utiliza tecnicas de jogos teatrais e teatro fisico e contemporâneo  através da pratica dos exercícios desenvolvidos por Michael Tchekhov, Viola Spolin,onde o trabalho físico, a voz e os jogos teatrais serão utilizados para a composição cênica, levando-se em consideração as experiencias de vida trazidas pelos participantes.
O curso é voltada para alunos a partir doa 21 anos mas tem foco principal para pessoas maiores de 40 anos, pois tem como um dos objetivos aproximar o publico da boa idade ao teatro de forma ativa,ou seja, participando como atores da ação e não mero expectadores.
O curso tem duração de 2 meses e a culminância será uma montagem teatral em novembro.

Curriculo da ministrante:
 Licenciatura em educação artística (habilitação artes Cênicas)- UFPE (2005)
-Participante do grupo de estudos sobre Antropologia do Imaginário no CFCH- UFPE(2010)
-Oficina de Interpretação Cênica com Iben Nagel(Odin Teatret/Dinamarca) e Tatiana Cardoso(RS)- A Ponte dos Ventos;O Canto do Corpo e as Raizes da Voz- 2013
-Oficina de Interpretação Cênica com Lina De La Roca(teatro do sobre Vento-Itália)-2013
-Oficina Sobre Ler e Escrever para Teatro- Uma Introdução Prática ao Universo do Texto: Professor Luís Felipe Botelho(2012)
3.Experiência Profissional Pedagógica
 -Ministrante de Teatro na Oficina “Compondo a Cena”, projeto “Opará e Além...” patrocinado pelo Ministério da Cultura, PROCULTURA nos estados (MG,AL,BA,PE,SE),em vigência
-Professora de Interpretação Cênica/indumentária e diretora do Espetáculo Desejo De Desejo. Projeto Teatro em Comum, (Projeto realizado em parceria com o governo do Estado e Centro da diversidade Cultural)-2010
-Arte-Educadora no Projeto Social dos menores em Liberdade Assistida do IDESC(Instituto de Desenvolvimento Social  Comunitário)-2008
 Experiencia Artística:
Anjo Negro. Texto:Nelson Rodrigues,direção Samuel Santos.Atuação:Figurinista e execução de figurino,Atriz e Produtora-2014
“Brincadeira e Natureza”.Atuação:Criadora da dramaturgia (se originou dos jogos de improviso feitas com o elenco),criadora do figurino .Direção Ana Medeiros e Chico Domingues.Realização Bom Brincar(2010)
“Cordel do Amor Sem Fim”. Texto Claúdia Barral. Direção Samuel santos.Atuações: Atriz,Criação do figurino,Iluminação e produção(O Poste Soluções Luminosas),(em vigência)
“Nau á vista”. Direção Grupo Marco Zero. Atuação: Manipuladora de bonecos e teatro de formas animadas. (2005)
-“Outra Vez Era Uma Vez”. Texto: Daniel Filho (Leitura Dramatizada).direção Grupo Marco Zero.Atuação:Atriz(2005)
_“ O Capataz De  Salema”.Texto :Joaquim Cardoso(Leitura Dramatizada).Direção Grupo Marco Zero.Atuação :Atriz(2005)
-“Um Livro de Fábulas”. Direção: Grupo Teatro Marco Zero.Atriz e Operação de Luz(2005)
Premios
- Melhor atriz Coadjuvante(Anjo Negro)XX Janeiro de Grandes espetáculos-2014
- Melhor atriz coadjuvante (Cordel do Amor Sem Fim)XVIII Janeiro de Grandes espetáculos-2010
-Melhor atriz  coadjuvante (Cordel do Amor Sem Fim)I Bienal de Teatro de Natal-RN)-2009

Curso de teatro 
Titulo: Vigor e interpretação teatral
Data:03 de setembro de 2014 05 de novembro de 2014(sempre as quartas feiras)
Horario:19 ás 22 horas
Professora:Agrinez Melo
Vagas:15
Matricula:50,00
Mensalidade:100,00
local de realização:Espaço do Poste
Rua da Aurora,529,loja 1,Recife-PE(Prédio amarelo situado na esquina da secretaria de policia a rua da aurora)
(81) 8768-5804 (Oi)
(81) 9505-4201 (Tim)

OFICINA CORPO RITUAL - 2ª edição - Totem -

OFICINA CORPO RITUAL–2ª edição - Grupo Totem
O Grupo Totem convida para a 2ª edição da Oficina Corpo Ritual. O Totem desenvolve uma pesquisa continuada baseada na mistura de linguagens artísticas, tendo  a performance como pensamento condutor, ministrará a oficina teórico/prática Corpo Ritual, no espaço O Poste Soluções Artísticas durante o mês de setembro. A proposta tomará o corpo como motor da obra e pretende fazê-lo adentrar num tempo-espaço-mítico a fim de desenvolver performances-liminares. Assumindo a performance como um ritual contemporâneo, a oficina será desenvolvida a partir de conceitos como presença, persona, campo mítico, pedagogia da performance, práticas performáticas e acionando interfaces com outras linguagens artísticas. No final acontecerá uma mostra das performances construídas durante a oficina.
A oficina Corpo Ritual terá como ministrantes Fred Nascimento e Lau Veríssimo, que também coordenam a mesma, mais as atrizes-performers Juliana Nardin, Taína Veríssimo e Tatiana Pedrosa.

Sobre O TOTEM

 O Grupo Totem participa da cena Pernambucana desde 1988. Fundamenta-se principalmente nas propostas de Antonin Artaud, na Antropofagia Cultural de Oswald de Andrade, na Dança-Teatro de Pina Bausch, no pensamento de Carl Gustav Jung. O grupo lança mão de uma multilinguagem. Na construção de seus espetáculos o Totem não parte da dramaturgia tradicional. Nosso trabalho se compõe de textos cênicos/sígnicos, construídos a partir de fragmentos os mais diversos, coletivamente. Com espetáculos essencialmente ritualísticos e antropofágicos e artes de fronteira (dança/teatro, performance,teatro ritual, teatro/dança,); música instrumental, composta especialmente para os espetáculos, simultaneamente primitiva e tecnológica, contaminada pela idéia de "paisagem sonora"; a investigação do universo do performer, sua visão de mundo sua mitologia pessoal, seu mapa corporal, aliados à idéia de que um performer/dançarino/ator; a ritualidade, a manipulação de símbolos vitais.

A Oficina Corpo Ritual acontecerá durante todas as terças e sextas de setembro, tendo seu início no dia 02 e terminando no dia 26, sempre das 19:00 às 22:00. Nos dias 27 e 28 (sábado e domingo), acontecerá a “Mostra de Performances Corpo Ritual” às 19:00, no mesmo espaço.
Local: Espaço O Poste Soluções Luminosas. Rua da Aurora, 529- Loja 1. Recife-PE.
Inscrições e outras informações através do e-mail: grupototem@hotmail.com; fone: 87324678 [oi]











sexta-feira, 4 de abril de 2014

TEMPORADA DO ESPETÁCULO ANJO NEGRO - "PROJETO UM NELSON ANCESTRAL" !

O preconceito racial sobre o comportamento humano e o preconceito racial sobre sua própria cor.
 Na peça Anjo Negro a questão é tratada de forma aparentemente paradoxal. O negro Ismael, por odiar a própria cor, repudia tudo o que possa estar associado a sua etnia - da religião aos hábitos culturais. Sua mãe o amaldiçoa, pois cegou Elias, o irmão de criação branco. Casado com a branca Virgínia, contra a vontade da mesma, Ismael se torna cúmplice da mulher, que assassina os próprios filhos por serem negros. Virgínia sente pelo marido um misto de repugnância e paixão. Ao nascer Ana Maria, filha branca de Virgínia com Elias, Ismael  cega a menina para que  nunca possa ver a sua negritude paterna. Vendo ali o início de uma relação incestuosa, Virgínia, sempre  cumplice do marido, traça o plano final.

“Nelson aponta para a problemática racial em que, certamente, se articulam os subsídios para uma teoria social do Brasil, onde se destaca a violência como fator de base dos fundamentos estruturais do modelo étnico-social brasileiro. A peça explicita a vivência de amor/ódio num casal inter-racial e a ambiguidade diante de sua linhagem mestiça. O estilo poético-realista de Nelson Rodrigues revela, de maneira perturbadora, temas adormecidos no inconsciente. Ele revolve esse universo profundo do espectador trazendo à consciência o que está recalcado e utiliza-se da tragédia para falar do racismo. Algo da ordem do trágico, tal qual é explicitado no drama grego, pode estar muito próximo de nós, se considerarmos que, enquanto humanos, vivenciamos as emoções que o perpassam.”
Encenação
A encenação trabalha com tudo que o personagem Ismael renega: as suas origens ancestrais. Essa recusa foi a primeira ideia de tratamento a concepção do espetáculo.   O  que a encenação faz é explicitar justamente as negações do personagem . Submerge de seu subconsciente o que ele evita, expulsa ou tenta não mostrar para a sociedade. As personagens são violentas entre si, sofrem a violência, vivem-na. Há vinganças recíprocas e intermináveis. Há ódio dissimulado no amor,amor dissimulado no ódio ou tão somente um desejo, que gera violência.

 
Os Coveiros Exus (Naná Sodré e Agrinez Melo) - Foto Diego Melo CRIA S/A


A Tia (Naná Sodré). Foto Diego Melo CRIA S/A

Ismael (Ângelo Fábio). Foto Diego Melo CRIA S/A

O cego Elias - irmão de Ismael- e sua cunhada Virgínia. (André Caciano e Smirna Maciel).Foto Diego Melo CRIA S/A.

Tia e primas (Naná Sodré,Agrinez Melo e Maria Luisa Sá). Foto Diego Melo CRIA S/A

Ismael (Ângelo Fábio).Foto Diego Melo CRIA S/A
Uma poltrona branca simboliza um trono, a imponência   de um rei, mesmo que esse rei se mostre impotente diante do amor e da loucura que o rodeia. Os muros sugeridos no texto estão dentro dos personagens, nada concreto. . . Não se trata de uma casa com características quaisquer. Há “sinais” que configuram uma espécie de sacralização do espaço físico, que indicam se tratar de um lugar não comum, diferente.
A vingança (Smirna Maciel,Agrinez Melo,Naná Sodré e Maria Luisa Sá).Foto Diego Melo CRIA S/A 

O encontro.(Smirna Maciel e André Caciano).Foto Olga Wanderley

O cego Elias (André Caciano).Foto Olga Wanderley

Dentro dessa visão construímos um ambiente degradante, algo isolado, esquecido enquanto ambientação cenográfica. O cenário sem nenhum caráter realista é trabalhado dentro da perspectiva de um ambiente desordenado, esquecido pelo tempo, fechado em si mesmo. Os mínimos elementos cenográficos, estão dentro desse espaço para dar vasão a solidão.  As plataformas, um espécie de trampolim   dão a ideia de desalinho e desequilíbrio dos personagens que vivem sempre a beira do precipício e da loucura. 
Dentro da linha de pesquisa que o Grupo O Poste Soluções Luminosas vem desenvolvendo desde o espetáculo Cordel Amor sem Fim trará um Nelson Rodrigues dentro da ancestralidade, um Anjo Negro dos Exus,  Orixás, Voduns, Eguns, feiticeiras, das alegorias e dos volumes de seus vestuários. As falas e  gestos    assumem o tom grotesco, bem marcado e animalesco. Ora estamos no terreiro, ora dentro, ora fora, ora em local indefinido, entre o estar dentro e fora.



O cego traído (André Caciano, Ângelo Fábio e Smirna Maciel).Foto Diego Melo CRIA S/A

Vírgínia (Smirna Maciel).Foto Diego Melo CRIA S/A


Anjo Negro, peça do grupo O Poste Soluções Luminosas

De 29/03 a 04/05 ( maio) , aos sábados e domingos

No Teatro Barreto Júnior – R. Estudante Jeremias Bastos , S/N - Pina Recife – PE | Fone | (81) 3326-4177

Horário – 20h

Valor – R$ 20 (inteira) e R$10 (meia).

Censura – 18 anos